Business Intelligence: entenda como ele se aplica no supply chain

Diariamente, uma tonelada de dados flui por sistemas no ambiente organizacional. São informações geradas pelos próprios softwares e que provêm de fontes externas também. Nesse sentido, um desafio é encontrar utilidade para esses dados, de modo que seja possível enxergá-los como ativos que ajudam na tomada de decisão — uma demanda do mercado atual.

Para fazer isso, o mercado tem recorrido a um conceito muito importante: Business Intelligence (BI). Trata-se de uma abordagem que reúne técnicas e estratégias para gerar inteligência nas análises de negócio, com a avaliação do maior número de informações possíveis para reduzir os riscos de erros e gerar visibilidade. Quando falamos em supply chain, essa necessidade é sempre pertinente.

Se quiser saber mais sobre a concepção de Business Intelligence e a sua aplicação na cadeia de suprimentos, acompanhe atentamente os tópicos a seguir.

O que é Business Intelligence?

Mais do que um simples conceito em voga, Business Intelligence é o conjunto de abordagens que visam coletar, tratar, processar, analisar e visualizar dados. Ou seja, utiliza métodos da ciência de dados para extrair insumos informacionais de fontes diversas, a fim de gerar insights relevantes para a análise de negócios das empresas.

Nesse sentido, é como um auxiliar para os gestores: permite uma visão geral dos processos, de modo a garantir domínio dos indicadores e das informações importantes. Além disso, o BI permite administração em tempo real, integração de dados e investigações históricas, ajuda no controle de vendas, de riscos e limitações, de produção, entre outros.

Para a coleta, ele busca dados de fontes distintas, incluindo sistemas internos e dados externos. Essas informações são preparadas e inseridas na base estrutural de armazenamento. Então, são tratadas e limpas, para ficarem prontas para a análise. Por fim, o sistema utiliza algoritmos inteligentes para encontrar correlações, padrões e tendências, de forma a gerar informação por meio da contextualização dos dados.

Em seguida, essas informações, agora valiosas, são dispostas em dashboards centralizados, que possibilitam a visualização personalizada. Os gestores conseguem definir filtros para enxergar as informações de diferentes ângulos, de acordo com a sua necessidade. Os dados são organizados em forma de gráficos, relatórios e, até mesmo, em storytelling.

Qual é a importância do supply chain na logística?

A cadeia de suprimentos é, como você bem sabe, uma forma de organizar os passos e inúmeros processos que envolvem a produção de uma mercadoria e o seu envio. Ela controla e integra os passos da jornada logística, de modo a gerar visibilidade e evitar erros.

Pensar o supply chain como um esquema integrado de operações é muito importante, pois permite agilidade e favorece a comunicação. Dessa forma, todos os agentes trabalham juntos e cooperam com os resultados esperados. O impacto do supply chain é extremamente positivo para as operações internas e para a lucratividade.

Qual é a relação do BI com o supply chain?

O Business Intelligence se destaca por ser uma tecnologia versátil, pois se adéqua a diferentes objetivos de negócio. O foco é sempre trazer inteligência e uma capacidade profunda de compreensão dos resultados atuais e do futuro.

Não é diferente, portanto, no supply chain. A aplicação do BI nesse contexto tem sido bem-sucedida em muitos casos, uma vez que a tecnologia tem muito a contribuir com todas as etapas típicas — desde funções de depósito, armazém, CD ou transporte até a produção e o planejamento do que é produzido. É um reflexo da transformação digital na logística.

Todas essas fases ganham maior visibilidade por meio de um controle estrito de indicadores e informações fáceis de conferir em dashboards. Dessa maneira, é possível atingir as metas e os resultados esperados.

A seguir, vamos analisar como o BI coopera com a cadeia de suprimentos, ao analisar alguns pontos específicos.

Detecção rápida de erros

Primeiro: maior precisão. O BI permite ao especialista em logística controlar melhor cada processo para prevenir erros comuns. Isso inclui perdas de produtos na fase de armazenagem, falhas nos registros de entrada e saída, problemas no transporte e até falhas que geram desorganização na etapa de produção.

No geral, a empresa mantém uma visão completa de todas as operações, de modo a combater essas possibilidades e suas implicações negativas. Essa vantagem ocorre por conta do monitoramento e da centralização das informações nos painéis.

Controle e monitoramento

A gestão de indicadores de desempenho e a visualização deles com filtros e em contexto facilitam o controle e o monitoramento em diversas etapas da cadeia. Dessa forma, é possível gerenciar as entradas e saídas no armazenamento, controlar os pacotes expedidos, monitorar o tempo de movimentação das mercadorias, monitorar o transporte, bem como acompanhar a produção, para checar se tudo está seguindo o planejamento.

Para sermos mais específicos, é possível citar ainda: controle das rotas de transporte, controle do consumo de combustível, monitoramento de roubos de carga ou de falhas e gestão do giro de estoque. Tudo isso fica visível para a gestão em seu dashboard.

O BI logístico é cheio de dados relacionados a essas operações, só que com a capacidade de processá-los e gerar insights a partir deles.

Melhor tomada de decisão

Em complemento à capacidade de monitorar os processos, temos a de viabilizar melhores decisões. Com os dados coletados e organizados, os gestores são capazes de optar pelas melhores soluções para problemas de todas as ordens — seja um excesso de movimentação no CD ou falhas que resultam em atrasos no transporte.

Melhor planejamento

Outra vantagem de contar com Business Intelligence na cadeia de suprimentos é o planejamento otimizado e integrado. Um exemplo disso é a possibilidade de planejar a produção, com antecipação das demandas de vendas. Assim, é viável comprar insumos e iniciar os processos produtivos, de modo a entregar os resultados no momento ideal e estar pronto para atender aos clientes, sem falta de estoque.

Da mesma forma, no transporte, o sistema favorece a roteirização de entregas e uma melhor organização, para tornar o processo mais eficiente. No armazenamento, organiza-se a estocagem de produtos nos melhores locais. Em suma, há uma previsibilidade maior, principalmente por conta da análise preditiva.

Visão integrada

O BI se integra muito bem com outras aplicações logísticas, como o WMS e o TMS, ajudando nas funções deles. Os dados desses sistemas podem ser utilizados para alimentar o software analítico e se tornar informações valiosas para análise e visualização em gráficos e relatórios detalhados. Dessa forma, a gestão enxerga tendências e acontecimentos inesperados para tomar as decisões cabíveis.

Redução de custos

A união entre a inteligência de negócios e a cadeia de suprimentos também resulta na redução de custos para a empresa. Afinal, não haverá grandes problemas com estoque, grandes riscos com avarias de produtos nem perdas. Os processos serão otimizados a partir do monitoramento.

O Business Intelligence é uma tendência em diversos nichos de mercado. No supply chain, essa aplicação gera previsibilidade e um planejamento mais estruturado, com estoques organizados de acordo com a demanda, uma produção eficiente e entregas no prazo esperado.

Para implementar, você pode adotar sistemas de gestão que possuem essa função ou buscar aplicações analíticas específicas. O ideal é também implantar uma cultura data driven. Permitindo que toda essa inteligência e insights retornem aos sistemas de origem, otimizando os seus processos.

Gostou do conteúdo? Assine a nossa newsletter e continue antenado em nossas novidades!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Deixe um comentário