controle do armazém

Como fazer o controle do armazém logístico? Confira!

Organizar e fazer a supervisão de maneira eficiente da mercadoria é o que representa a definição de controle do armazém. Na prática, trata-se de manter um balanço entre os itens que entram e saem nas etapas de trabalho para que seja possível identificar o número de produtos disponíveis.

Tudo isso impacta diretamente as etapas logísticas da operação e ajuda na identificação de pontos falhos e que geram prejuízos no fim das contas. Ao aprimorar esse tipo de monitoramento, é possível criar dinâmicas internas que se encaixam nas características das mercadorias e melhores estratégias para que elas cheguem ao cliente dentro do prazo estipulado.

Quer saber mais? Vamos falar no artigo a seguir sobre controle de armazém logístico. Acompanhe!

Entenda a importância de fazer o controle do armazém logístico

O controle do armazém é indispensável em empresas que contam com um alto volume de mercadorias e precisam de dados confiáveis para basear as decisões internas. O principal diferencial, aqui, está em estabelecer objetivos básicos que ajudam a prevenir quebras de estoque e as consequências dos atrasos nas entregas aos clientes ou do excesso de estoque.

Além disso, o controle do armazém logístico impacta o planejamento da demanda, que permite avaliar as mudanças do mercado e a sazonalidade de determinados itens. Assim, fica muito mais simples criar estratégias bem alinhadas para impedir que as falhas cresçam e para fazer com que as operações possam ser organizadas com o máximo de antecedência possível.

Redução de custos

A obsolescência da mercadoria sem saída comercial é um dos principais problemas gerados pela falta de controle de armazenagem. Produtos parados por muito tempo representam dinheiro perdido e ausência de um planejamento bem efetuado na gestão. Isso, automaticamente, traz custos que poderiam ser evitados com um trabalho focado em otimização.

As diferenças podem ser notadas também nas questões que envolvem a boa distribuição do estoque para que os colaboradores tenham uma dinâmica melhor de operação. Um exemplo, nesse caso, é que no lugar de ter dois galpões com vários produtos misturados, o gestor pode optar por ter apenas um com itens indispensáveis e de grande giro.

Preparação fluida

O estoque bem alinhado ajuda a concentrar os gastos no que realmente é importante para a empresa e oferece mais autonomia aos colaboradores. Assim, o equilíbrio dos gastos se transforma em maior liquidez, em que o dinheiro investido é recuperado e o financeiro consegue organizá-lo de forma que garanta um eficiente balanço contábil.

Aumento da competitividade

Ao conhecer o estado dos itens de maneira completa, incluindo sua localização no armazém, a preparação de produtos acontece rapidamente. Essa medida faz a diferença no momento de fechar negócios e cumprir rigorosamente com o prazo informado ao cliente.

Em consequência disso, acontece o aumento da competitividade no mercado e da imagem positiva da empresa de maneira geral. Afinal de contas, quando o andamento do armazém é pautado por organização, as chances de erros são reduzidas consideravelmente. Além disso, se algum imprevisto surge, a equipe consegue revertê-lo com a eficiência necessária.

Aprenda a fazer o controle de forma eficiente

O controle do armazém vai além de organizar bem as mercadorias, acompanhar o ciclo de consumo dos produtos, criar estratégias de distribuição e solucionar imprevistos. É preciso também criar uma rotina que esteja alinhada com as particularidades da empresa e com as suas principais necessidades operacionais. Isso incluí desde o momento em que a mercadoria e os insumos são recebidos até o recebimento do cliente.

Veja a seguir o que deve ser incluído para fazer o controle do armazém com qualidade e boas decisões!

Mapear processos

Antes de mais nada, é muito importante compreender que cada empresa precisa de soluções personalizadas. Dessa forma, é necessário entender o conceito e adaptá-lo conforme sua realidade, pois os problemas de armazenagem do concorrente podem não ser exatamente iguais aos seus.

Por esse motivo, mapear os processos se transforma na etapa inicial. O mapeamento permite entender todos os processos e identificar quais são as maiores dificuldades, como os profissionais atuam diante dos contratempos e o que representam os prejuízos. Ele deve ser realizado em função das demandas dos clientes e de como acontece o passo a passo para atendê-las.

Outro ponto é estabelecer critérios de avaliação de desempenho que permitam o monitoramento e revisá-los com frequência. Como resultado, será possível garantir o bom atendimento até mesmo em momentos de sazonalidade.

Organizar o armazém

A dinâmica envolvida no modo como os colaboradores identificam os produtos no armazém é determinante para o sucesso de toda a operação logística. Dessa maneira, é preciso ter atenção redobrada ao layout e à forma de endereçamento escolhido.

A movimentação dentro do local deve ser feita conforme o volume de vendas e outros fatores que influenciam o tempo de cada etapa. Entre os principais estão valor agregado dos produtos, peso, se é perecível, dificuldade de manuseio e tamanho.

Ter tudo isso devidamente organizado favorece ao máximo o aproveitamento do armazém e torna todas as decisões mais eficientes. O objetivo, no fim das contas, envolve criar uma linha de produção que está conectada com os objetivos logísticos e as características dos produtos.

Use métricas específicas

Os processos logísticos no armazém devem ser cuidados minuciosamente. Se qualquer erro acontecer, por menor que seja, tem o poder de se transformar em uma bola de neve. Assim, além do retrabalho, existe ainda a perda de tempo e da confiança dos clientes. Para evitar que isso ocorra, o controle do armazém precisa ser feito com o auxílio da tecnologia e com o uso de métricas específicas.

É muito importante, aqui, que todos os indicadores de logística sejam analisados. Dessa maneira, inclua indicadores de produtividade, índices de avarias e extravios, conferência de inventário, taxas de atendimento e indicadores de desempenho na armazenagem. Com dados importantes e atualizados em mãos, fica mais fácil interromper processos problemáticos antes que comprometam a operação e reforçar o que realmente funciona.

Pronto! Agora ficou claro qual a importância de fazer o controle do armazém e como colocar as etapas em prática. O mais importante é compreender que a etapa de organização das mercadorias é determinante em todas as fases da logística e deve receber atenção especial. Com a base bem estruturada, a padronização das operações acontece focada em reduzir custos e conquistar o mercado.

Gostou das informações? Então curta nossa página no Facebook e fique por dentro de outras notícias relacionadas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo