supply chain

6 dicas para otimizar a cadeia de suprimentos

Além de ser uma das áreas mais importantes da logística, a cadeia de suprimentos é algo de extrema complexidade. Ela engloba todos os processos, desde o abastecimento do input — como o controle de estoque, o gerenciamento de fornecedores e a gestão de transporte — até a entrega ao cliente.

Portanto, para que uma empresa se mantenha competitiva no mercado, é necessário empregar algumas estratégias de otimização da cadeia de suprimentos. Quer saber como fazer isso, entendendo melhor a administração das políticas de riscos e a implantação de inovações tecnológicas nesse contexto? Acompanhe este conteúdo!

1. Unifique a gestão em um sistema

Unificar toda a gestão em um sistema informatizado é o recomendado para o gerenciamento das atividades que integra a cadeia de suprimentos. Nesse sentido, a padronização e o mapeamento dos processos são benéficos, principalmente quando existe diversidade de setores envolvidos no andamento da tarefa.

Dessa maneira, ao dispor de estratégias como o sistema LIS da TPC Logística Inteligente, sua empresa contará com uma maior produtividade, além de obter as suas atividades automatizadas, centralização dos relatórios do desempenho gerencial e o registro de compra e venda. Essa melhora no fluxo de informação dentro da organização, por sua vez, será responsável por tornar as operações mais eficazes.

2. Use o big data para prever demandas

Realizar o planejamento da demanda é algo que deve ser feito de forma objetiva. Por isso, entender o potencial de vendas para os seus clientes e a expectativa de assistência ao mercado é primordial em termos logísticos.

Para tanto, uma maneira eficiente de traçar questões estratégicas para os seus negócios é investir em profissionais capacitados e contar com a ferramenta big data. Com ela, é possível colher informações de mercado por meio dos consumidores, extraindo referências sobre tudo o que estão dizendo sobre a empresa, como: sobre o que estão satisfeitos, o que gerou insatisfações, quais as necessidades não atendidas etc.

Desse modo, o big data dá ao gestor uma diferente perspectiva, já que este poderá transpassar todos os dados por meio de fontes diversas e, assim, gerar insights precisos e ágeis para o negócio.

3. Tenha fornecedores confiáveis

Saber que pode confiar nos fornecedores é um critério fundamental para otimizar a cadeia de suprimentos. Afinal, parceiros confiáveis estão diretamente relacionados a pontos positivos, tais quais: inputs de qualidade, cumprimentos de prazos e registros de funcionamento.

Logo, o abastecimento solicitado deve ser organizado e transportado de maneira que não possam ocorrer transtornos, atrasos e adversidades inesperados. Em razão disso, o ideal é contar com parceiros aliados para o seu negócio, e, claro, com uma boa gestão de estoque. Nesse contexto, é válido lembrar que qualquer falha pode gerar grandes prejuízos, então mantenha-se atento!

4. Adote uma política de riscos

É possível que, às vezes, os processos não saiam conforme o esperado — afinal, são diversas as possibilidades de erros e falhas na cadeia de suprimento. Por isso, tenha uma política adequada e bem divulgada internamente para minimizar a interrupção das atividades devido as falhas.

Isso significa que não se deve apenas analisar os fatores internos, mas também os externos, de modo que seja concebível acompanhar e inspecionar fatores como:

  • a aparição de novas regulamentações que causem o ajuste de custos e tarefas;
  • as conjunções econômicas e políticas em caso de alteração expressiva nos valores dos insumos, a fim de ocorrer mudanças nos trabalhos de importações-exportações e variações monetárias atípicas;
  • o risco de algum ou um determinado fornecedor interromper seus serviços e/ou retardar a entrega dos pedidos;

Com essas possibilidades bem mapeadas, é possível interromper o mínimo das atividades operadas na organização caso algum problema ocorra. Nesse cenário, ainda que haja um prejuízo, ele será bem menor do que seria na circunstância de não ter um planejamento adequado empregado.

5. Simplifique os processos

Se a cadeia de suprimentos é algo complexo, simplificá-la torna-se algo estratégico. Afinal, quanto mais fácil e descomplicado forem os processos da sua gestão, mais simples será a execução das atividades — o que diminui a chance de erros.

Mas como fazer isso? Coletando informações relevantes para a previsão da demanda futura e as necessidades de estoque. Desse modo, será possível o rastreamento de remessas, a otimização de cronograma e priorização de tarefas, o que auxiliará na simplificação dos processos.

Outro fator relevante tornar as coisas mais simples é integração, pois ela tem a essência para condicionar a logística de suprimentos de acordo com a estratégia da organização e as diligências do mercado consumidor.

Essas soluções, por sua vez, trabalham em conjunto para evitar falhas e erros em todos os estágios que podem resultar em perdas e/ou maximizar os custos operacionais. Além disso, ao observar melhor cada etapa, será possível encontrar pontos de melhoria.

6. Prepare a equipe

Com uma equipe qualificada, você terá um grupo de profissionais avaliando regularmente os resultados e maneiras de aprimorar os processos. Assim, os bons colaboradores da organização também podem contribuir positivamente para diminuir o índice de erros na execução das atividades.

Para ter uma equipe preparada, estabeleça alguns critérios como:

  • fazer investimentos em treinamentos e aperfeiçoamento de competências, de preferência relacionados à habilidade tecnológica em ferramentas de inteligência artificial, Big Data, automação, Internet das Coisas, etc;
  • avaliar constantemente o pessoal, dispondo de gratificações para os funcionários destaque e oferecer um feedback motivador para aqueles que não estão correspondendo às expectativas;
  • desenvolver uma política verídica da cadeia de suprimentos onde estão elencados todos os objetivos, valores e missões dessa repartição;
  • passar mais responsabilidades aos gestores que se sobressaem perante aos desafios para que eles possam desenvolver todas as equipes.

Com todas essas dicas, é fácil notar o quão significante a gestão da cadeia de suprimentos pode ser para o crescimento de uma empresa. Afinal, para que um negócio seja bem-sucedido, fatores internos e externos devem ser levados em consideração. Nesse contexto, faz-se necessário aliar todos os processos que interferem na cadeia produtiva como um todo, prezando por melhorias e otimizações em suas ações de forma contínua.

Agora que você já sabe como a cadeia de suprimentos otimizada pode trazer benefícios para a sua empresa, que tal baixar o nosso e-book e se informar sobre a eficiência na logística?!

COMPARTILHAR:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Deixe uma resposta