dicionário de logística

Dicionário de logística: conheça os principais termos usados no setor

Há alguns termos do setor de logística muito importantes, tanto para profissionais experientes quanto para quem acabou de ingressar na carreira.

Pensando nisso, trouxemos um dicionário de logística com os principais termos relacionados a essa atividade.

Queremos te ajudar a compreender os processos envolvidos na cadeia de suprimentos, que, muitas vezes, envolvem jargões. Por isso, use este artigo para ampliar o seu conhecimento e confira esta lista com 18 conceitos para enriquecer o seu vocabulário. Aproveite!

Abastecimento direto

Indica a distribuição sem intermediários, ou seja, o produtor assume a responsabilidade de entrega ao consumidor final.

Abastecimento integrado

Processo que envolve mais de duas organizações para possibilitar o processo de entrega e maximizar a sua eficiência.

AD Valorem

Também conhecido como Frete Valor, é uma taxa cobrada que representa o seguro de carga. Está incluída na tabela de frete para compensar o transportador por esse custo adicional. O cálculo pode variar de acordo com cada empresa, mas, em geral, os principais critérios são:

  • distância percorrida: quilometragem entre o local de coleta e entrega, tende a ser maior no caso de longas distâncias devido à exposição a diversos riscos;
  • peso do produto: mercadorias de pequeno porte, mas de maior valor agregado são as mais visadas, portanto, o peso é um fator que deve ser levado em consideração;
  • características da rodovia/região: a condição das estradas e o índice de roubo de cargas em determinada região podem levar a um aumento da tarifa de AD Valorem;
  • necessidade de manuseio: o manuseio no embarque e desembarque aumenta as chances de avarias. Além disso, pode necessitar de equipamentos especiais, o que encarece a operação.

B2B

É a abreviação da expressão business to business, que é a modalidade de negócio entre pessoas jurídicas, ou seja, são vendas de empresa para empresa.

B2C

É a abreviação do termo business to consumer, que em português significa da empresa para o consumidor final. O varejo é um bom exemplo desse modelo, já que os compradores são, obrigatoriamente, pessoas físicas.

Bricks and clicks

Esse é um modelo de negócio que está em constante expansão no comércio varejista. Trata-se da expressão que representa as empresas que têm estratégias comerciais em lojas físicas (bricks/tijolos) e lojas online (clicks/cliques).

Esse conceito faz parte de uma estratégia omnichannel, uma tendência importante que ajuda a ampliar os canais de venda para alcançar um número maior de potenciais clientes.

Carga lotação

Nesse caso, a capacidade de carga do veículo é aproveitada por uma única mercadoria. O pedido tem origem no fornecedor, com destino a somente um cliente. Nesse caso, a carga completa pode ocupar todo o espaço ou atingir o peso máximo embarcado.

Curva ABC

Esse termo também é conhecido como Regra 80/20 ou Análise de Pareto. Na logística, esse processo é essencial para a gestão de estoque.

Cada classe é representada de acordo com a sua importância, valor ou quantidade armazenada. São elas:

  • classe A: corresponde ao topo, com 20% dos itens;
  • classe B: nível intermediário, correspondendo a 30% do total;
  • classe C: nos níveis mais baixos, atingindo 50% do total.

A partir dessa apuração, é possível extrair diversas análises, como a representatividade dos fornecedores, o giro de estoque e os itens com maior demanda e impacto na empresa.

DDU

Esse termo é bastante usado na importação e exportação de mercadorias. A sigla representa Delivered Duty Unpaid ou Entregue sem Taxas Pagas, em português. Isso significa que as obrigações do fornecedor ou vendedor terminam quando a carga é embarcada no navio, avião ou é entregue no porto.

A partir desse momento, o comprador está encarregado de arcar com os custos da operação e assume a responsabilidades pelos riscos aos quais o carregamento está sujeito durante o trajeto. Isso também inclui o desembaraço aduaneiro, portanto, não se confunde com o frete FOB.

Entrega fracionada

Ocorre quando o veículo é embarcado com diversas mercadorias com origens e destinos diferentes. Nesse caso, o valor do frete cobrado é rateado entre cada cliente de acordo com as dimensões e o peso da carga.

Giro de estoque

É a forma pela qual as mercadorias armazenadas são gerenciadas. Para saber qual é o giro de estoque, basta dividir o total de itens vendidos pelo estoque médio. Assim, é possível descobrir o número de giros por ano.

Indicadores de desempenho

São métricas utilizadas para avaliar a performance do processo logístico. Tais índices podem ser de natureza operacional, financeira e de qualidade.

Lead time

O lead time, ou ciclo de pedido, descreve o período desde o recebimento do pedido até a entrega da mercadoria. Para aumentar a eficiência, esse número deve ser o menor possível.

MDF-e

É um dos documentos fiscais que devem ser emitidos para que a carga possa ser enviada de forma legalizada. O Manifesto de Carga Eletrônico cumpre a função de listar todos os conhecimentos de transportes (CT-e) e notas fiscais eletrônicas (NF-e) das mercadorias embarcadas.

Esse documento é essencial para agilizar o processo de fiscalização nas estradas, pois consolida as informações disponíveis para consulta. Além disso, permite o rastreamento das cargas e o seu registro em lote.

Picking

Processo executado no armazém com a retirado dos produtos das prateleiras para consolidar o pedido de um determinado cliente.

Shelf life

Esse termo é utilizado para descrever a vida útil de um produto na prateleira. Pode ser traduzido como a vida útil de um artigo na prateleira. Com essa informação em mãos, o gestor cria o planejamento logístico para garantir a comercialização das mercadorias dentro do prazo recomendado ou de validade.

SLA

O SLA, ou Service Level Agreement, pode ser traduzido como Acordo de Nível de Serviço (ANS). Esse termo faz parte dos contratos de prestação de serviços logísticos, que descrevem todos os serviços que o contratante espera do fornecedor.

Nesse caso, alguns exemplos são os prazos de entrega estipulados, as expectativas quanto à qualidade e o prazo de pagamento. Assim, o SLA é elaborado para garantir que os envolvidos cumpram com as suas obrigações.

VMI

Vendor Managed Inventory é o processo pelo qual o fornecedor é responsável pela gestão do inventário de seus clientes. Com essa parceria, o fornecedor tem acesso ao controle de estoque dos itens que a sua empresa fornece e, assim, pode programar o seu abastecimento conforme a necessidade.

Pronto! Agora que você já leu o nosso dicionário de logística, está mais preparado para entender como a cadeia de suprimentos funciona e o seu impacto na operação das empresas.

Se você achou que este glossário foi útil, que tal compartilhar esta postagem nas suas redes sociais? Ajude a disseminar essas informações!

Uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo