gestão financeira logística

Gestão financeira logística: como lidar com os desafios da crise?

Em um mercado cheio de incertezas, as empresas precisam apostar na gestão financeira logística para lidar com a crise. São inúmeros desafios envolvidos, que atingem todas as etapas operacionais e vários setores do segmento. Os principais impactos compreendem o recebimento de insumos e mercadorias e a interrupção de fabricação.

Para lidar com tudo isso de maneira eficiente, o primeiro passo envolve integrar, padronizar e contabilizar os processos do setor com base nos custos implicados. Dessa forma, com valores na ponta do lápis, começa o gerenciamento baseado em informações qualificadas e recursos tecnológicos que fazem a diferença.

Quer saber mais? Vamos tirar suas dúvidas sobre como lidar com a crise ao implementar uma gestão financeira logística. Acompanhe!

Entenda a relação entre a logística e as finanças

O objetivo de qualquer empresa é reduzir custos o máximo possível, sem perder qualidade na realização do serviço. Quando se trata de logística, então, esse desejo se torna uma necessidade por conta de toda a complexidade que envolve o setor e seus desafios no mercado.

Em um contexto extremamente competitivo como o que vivemos atualmente, uma das funções da logística é manter-se estratégica no negócio para aumentar os lucros. De maneira geral, a área financeira das empresas associa os gastos da logística com armazenamento e transporte, por serem os pontos mais evidentes do processo.

Boas decisões

Com isso, existe sempre a possibilidade de identificar novas formas de economizar em todas as etapas das operações. O gestor responsável precisa tomar boas decisões tanto na busca por parcerias quanto na tarefa de entregar um excelente trabalho, ao mesmo tempo que preserva o preço competitivo.

Outro detalhe muito importante está na necessidade de reduzir os desperdícios. E por mais que se faça um planejamento logístico eficiente, essas falhas costumam ser corrigidas com a otimização de processos que, consequentemente, ocasionam a redução de custos. Conforme a tecnologia avança e ocorram mudanças no relacionamento com os clientes, existe o conflito de definir o plano que será colocado em prática.

Aqui, entra o olhar estratégico e experiente dos profissionais envolvidos, que precisam garantir que os recursos sejam bem direcionados desde a produção até a distribuição final dos produtos em tempos de crise. Dentro desse contexto, torna-se indispensável observar atentamente que, no setor financeiro, o desempenho logístico só será agregador se funcionar corretamente e conforme as necessidades do negócio.

Descubra as melhores práticas de gestão financeira na logística

Diante de tantas oscilações econômicas, o setor logístico precisa manter-se preparado para imprevistos de todos os tipos. Assim, conhecer as melhores práticas de gestão financeira na logística faz muita diferença no momento de preservar a qualidade do serviço e ficar à frente da concorrência.

Os custos do setor logístico giram em torno de insumos, armazenamento e deslocamento de cargas. Ao ter o controle dessa gestão, fica mais simples redirecionar processos que não funcionam como o esperado e concentrar esforços em falhas significativas capazes de prejudicar a imagem da empresa no mercado. Veja, a seguir, outros exemplos de gastos que devem ser incluídos na gestão financeira logística:

  • estoque e armazenagem — falta de produtos, perdas no transporte, preço de compra e fatores de manutenção;
  • gestão de estoque;
  • processo de empacotamento dos produtos e escolha da embalagem adequada;
  • custos com aquisição de veículos ou escolha de transportadora terceirizada, fretes, manutenção, combustíveis, entre outros;
  • tributos incidentes na logística;
  • custos fixos e variáveis;
  • investimentos em tecnologia.

Conheça o passo a passo para aplicá-las

Agora que você já conhece uma estimativa dos custos incluídos na gestão financeira logística, deve estar curioso sobre como colocar estratégias em prática. Saiba que esse processo de gerenciamento varia conforme os principais gastos com logística na empresa, que servem como ponto direcionador do planejamento financeiro.

No entanto, existem algumas medidas que são essenciais em todos os formatos de gestão e já apresentam excelentes resultados quando implementadas de maneira direcionada e com o objetivo de otimizar as operações, conhecer a fundo os pontos fortes e fracos e manter a qualidade diante dos clientes.

Métodos de custeios

Uma questão muito interessante no gerenciamento de custos é utilizar métodos de custeio. Eles consistem na maneira como a empresa define o preço final da venda dos serviços. Na prática, são três metodologias que podem ser implementadas.

A padrão, que faz uma análise da eficiência da produção, permite conhecer variações e apresenta o custo ideal para a base de controle. Por absorção, que trata das apropriações de todos os custos gerados pela dinâmica de prestação de serviços de maneira geral. E, por último, existe o variável, que é o custo final que representa a junção de uma série de custos variáveis que são divididos no processo de produção. Já no resultado do exercício, são considerados os custos fixos.

Mapeamento de processos

O mapeamento, na prática, estuda detalhadamente as operações que envolvem a logística. Para aumentar a eficiência das etapas, os processos são definidos e padronizados com foco em evitar falhas que causem prejuízos. O ideal é que o gestor entenda o melhor andamento das atividades e crie um cronograma alinhado com o desempenho dos colaboradores.

Indicadores de desempenho

Os indicadores de desempenho-chave (KPIs) são responsáveis por medir o custo dos negócios. As métricas são aplicadas por um sistema de gestão que mostram em quais etapas da logística as decisões dos gestores trouxeram mais efeitos positivos.

Entre os principais exemplos de KPIs logísticos, estão taxas de avarias e giro de estoque. Outro destaque importante que impulsiona a redução de custos está em aprimorar as negociações com fornecedores. Assim, ao construir uma relação de confiança com eles, fica mais simples ajustar prazos e métodos de pagamentos e conseguir reduzir valores.

Ferramentas tecnológicas

As ferramentas tecnológicas são grandes aliadas dos gestores de logística. Isso porque otimizam os processos, mostram dados essenciais e ajudam na tomada de decisões por conta da reunião de dados complexos. Sem contar que geram relatórios de controle automáticos e praticamente eliminam as atividades burocráticas. Veja, a seguir, outras vantagens:

  • emissão de notas fiscais;
  • análise de dados;
  • controle de custos;
  • centro de atividades;
  • painel de negociação com fornecedores.

Importância da Integração

A integração logística surge como uma solução eficiente e moderna na hora de fazer a gestão financeira. Dentro desse contexto, esse processo inteligente permite oferecer ao cliente um novo nível em serviços realizados.

Tudo isso, por meio de estudos, análises detalhadas, automação dos procedimentos internos e ações que funcionam de maneira integrada. Com a ajuda da tecnologia na integração, a visão ampla de todas as operações mostra a facilidade de gerar dados e centraliza essas informações.

A gestão financeira logística melhora o desempenho das empresas que precisam entregar excelentes resultados mesmo com a redução de investimentos gerados pela crise. Todas as dicas citadas no texto auxiliam na ampliação de resultados e devem fazer parte de um planejamento detalhado. Além disso, esse é um momento propício para colocá-las em prática, visto que muitas pessoas estão preparando as ações do próximo ano.

Gostou das informações do artigo? Então deixe seu comentário no post e conte-nos sobre como a sua empresa encontrou soluções para lidar com a crise.

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo