indicadores de desempenho logístico

Conheça mais sobre os 5 principais indicadores de desempenho logístico

Encontrar maneiras para manter o fluxo contínuo da cadeia de suprimentos é um desafio para muitos gestores da área de logística.

Entretanto, utilizar técnicas que facilitam localizar adversidades no percurso das atividades é fundamental. Sendo assim, uma ótima ferramenta a ser utilizada para isso é a medição de resultados por meio de indicadores de desempenho logístico.

Você conhece esse método? Seu uso pode ser a solução para muitos problemas encontrados na sua rotina diária de trabalho.

Pensando nisso, desenvolvemos este post com o intuito de explicar melhor sobre a função dos indicadores de desempenho logísticos e os mais utilizados no setor.

Interessado em conhecer mais sobre o tema? Então continue conosco até o fim deste post!

Qual a importância dos indicadores de desempenho logístico?

Os indicadores de desempenho logísticos ou também os conhecidos KPI’s foram desenvolvidos para auxiliar empresas a medirem melhor os resultados de suas operações. Esses indicadores, normalmente, são utilizados para rastrear, visualizar e otimizar todos os processos que envolvem a cadeia de suprimentos.

Essa estratégia de mensurar resultados logísticos, por sua vez, permite que o gestor visualize o funcionamento dos processos de forma global. Dessa forma, é possível identificar gargalos e problemas que possam atrapalhar a fluidez do processo.

Assim, implantar indicadores de desempenho logístico é primordial para quem deseja melhorar os seus serviços. Com essa ferramenta, é possível que uma organização obtenha diversos benefícios, dentre os quais podemos destacar:

Como definir indicadores corretamente?

A definição dos indicadores mais apropriados para a empresa depende muito das características do negócio. De modo geral, para selecionar o que mais se aproxima dos objetivos da organização, é necessário levar em conta o seu estoque, o transporte e a segurança das mercadorias.

Por exemplo, se sua empresa trabalha com produtos de alto valor agregado, é fundamental que se preocupe com indicadores que meçam o volume de estoque diário e suas movimentações. Dessa forma, poderá evitar perdas e extravios de mercadorias.

Quais são os 5 principais indicadores de desempenho para seu setor logístico acompanhar?

A ferramenta de medição em KPI’s logísticos acompanha uma série parâmetros ideais para o monitoramento supply chain. Entretanto, para que sejam realmente eficazes para cada empresa, devem ser alinhados às estratégias institucionais do negócio.

Abaixo, apontamos os principais indicadores de desempenho logístico os quais sua empresa pode se apoiar. Entenda!

1. Tempo de ciclo cash to cash

Muito utilizado pelos setores financeiros de empresas, o indicador tempo de ciclo cash to cash também é fundamental na logística. Isso porque ele é capaz de informar como anda a saúde financeira da sua cadeia de suprimentos.

Esse KPI consegue mensurar qual o tempo que o caixa da empresa leva para repor o dinheiro gasto com o ciclo de vida do seu produto. Com isso, é possível que a empresa compreenda se seus ativos estão sendo bem utilizados.

O cálculo de medição do indicador cash to cash é feito da seguinte maneira:

Dias de estoque disponível (Inventário total de Abastecimento) + número médio em que os clientes levam para pagar as suas encomendas – número de dias que a empresa gasta para pagar as suas aquisições.

Por exemplo, se quantidade de dias em estoque de um produto for igual a 30 dias, o número médio para pagamento dos pedidos for de 45 dias e a média de pagamentos efetuados pela empresa for de 40 dias, teremos a seguinte conta:

30+45-40 = 35.

Isso significa que o tempo de ciclo cash to cash da empresa é de 35 dias. Desse modo, a meta para esse KPI deve ser sempre menor que o calculado atualmente. Entretanto, deve se ter cautela ao alterar os dias do produto em estoque ou tempo oferecido para que o cliente efetue o pagamento do seu pedido, o que muitas vezes não pode atender as suas necessidades.

2. Tempo de ciclo do pedido

O tempo de ciclo do pedido ou OFCT (Order Fulfillment Cycle Time) é, principalmente, utilizado pelas empresas de full e-commerce. Isso se deve ao fato de conseguir medir o tempo que uma encomenda demora para ser entregue até o seu cliente final desde o momento da sua compra.

Para calculá-lo, é necessário ter os seguintes os dados:

  • Tempo de requisição (TR);
  • Tempo de produção (TP);
  • Tempo de entrega (TE).

A fórmula para medir o KPI é: TR + TP + TE = OFTC

A variável tempo pode ser medida em dias, semanas, meses ou anos. Isso vale tanto para o tempo de requisição de produtos quanto para o preparo das mercadorias e envio dos itens ao consumidor final.

Tomemos como exemplo uma empresa que vende roupas femininas e que, para receber produtos de seus fornecedores, leve dois dias. Já para os processos internos, a empresa gaste um dia, além do prazo estimado para que a mercadoria chegue até o seu cliente final perdure por sete dias. Nesse caso, o cálculo para tempo de ciclo do pedido será:

2 + 1 + 7= 10 dias de OFCT

Isso significa que o tempo gasto para que mercadoria chegue até as mãos do seu cliente é de 10 dias. Esse processo inclui todas as etapas necessárias de preparo do produto que vai desde o pedido do comprador até a sua entrega incluindo os processos internos como a requisição de mercadorias ao fornecedor, separação e expedição das mesmas.

Quanto menor esse tempo for, mais confiante e satisfeito o cliente ficará. O prazo eficaz demonstra agilidade e segurança nos serviços logísticos.

3. Prazo médio de recebimento

O prazo médio de recebimento (PMR) estima o tempo de retorno financeiro com a efetivação das vendas de uma empresa, ou seja, o prazo que se leva entre a venda e o recebimento do efetivo dinheiro.

Para o cálculo é necessário levantar o total de contas a receber em 360 dias e o total da Receita Operacional Bruta durante um ano, o que leva a seguinte fórmula:

Total a Receber x 360 / Total da Receita Operacional Bruta (durante um ano) = PMR

Esse cálculo permite que empresa avalie, por exemplo, a necessidade de capital giro para as operações logísticas.

4. Tempo médio de entrega

Esse KPI é medido com o intuito de identificar qual o tempo necessário para entrega do produto até o seu consumidor final. O indicador deve ser medido desde o momento da realização do pedido até a sua entrega ao cliente. Etapas como a separação do pedido, carregamento, transporte, rota completa, descarregamento da mercadoria, entre outros devem ser levados em consideração.

Utilizar esse KPI é importante para melhorar os seus prazos de entrega e precisar com eficiência o prazo máximo que o consumidor receberá o seu produto.

 5. Custo médio da armazenagem

Mensurar o custo médio de armazenagem é importante para verificar como estão sendo alocados os recursos financeiros dentro e fora do estoque.

Adotar essa estratégia é fundamental para empresas que buscam minimizar despesas, melhorar as operações do setor e acompanhar sua evolução. Por isso, é essencial que os cálculos envolvam todo o custo com equipamentos, pedidos, estocagem, manuseio de materiais, mão de obra, energia, dentre outros.

Implementar indicadores de desempenho logísticos é uma excelente estratégia para empresas que almejam oferecer sempre o melhor para seu cliente e para sua organização como um todo. Essa não é tarefa muito fácil, porém com muito estudo e dedicação é possível alcançar o sucesso total.

 

Gostou do nosso post sobre indicadores de desempenho logísticos? Aproveite a sua visita em nossa página e assine nossa newsletter. Assim, receberá todas as atualizações diretamente em sua caixa de entrada.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Deixe um comentário