multidisciplinaridade nos negócios

Como a multidisciplinaridade pode impactar os negócios da sua empresa?

O conceito de interdisciplinaridade surgiu na segunda metade do século 20, quando o suíço Jean Piaget – professor, psicólogo, biólogo e epistemólogo (palavra difícil para se referir a quem estuda o conhecimento humano), cruzou as fronteiras da psicologia e da filosofia, para utilizar conceitos da matemática, da física e da lógica para melhor estudar e compreender os mecanismos de aprendizado do ser humano.

Essa abordagem interdisciplinar ofereceu uma alternativa ao pensamento acadêmico corrente à época, que se baseava na fragmentação e especialização nos objetos de estudo. O conceito evoluiu e saltou do campo científico para empresas e negócios, passando a ser chamado de multidisciplinaridade.

Na verdade, quando falamos de multidisciplinaridade nos negócios, nos referimos às pessoas que são capazes de coordenar mais de um conhecimento e de reunir profissionais com saberes múltiplos para produzir resultados acima da média.

Normalmente usada para resolver problemas específicos inerentes ao escopo do negócio e sobretudo, dos negócios de seus clientes. Com uma equipe plural, a companhia reúne pontos de vista de áreas distintas para pensar ações e projetos que vão gerar impactos positivos e agregar mais valor à operação organizacional. 

Um dos principais desafios da multidisciplinaridade é a grande disponibilidade de oferta de informação, formação, treinamentos e cursos. Por isso, é preciso fazer as escolhas mais adequadas para garantir a resolução dos problemas, além de encontrar maneiras satisfatórias de capacitação e de coordenação de times, respeitando a expertise de cada um, para que os projetos sejam executados com excelência.

Nesse contexto, a diversidade é um fator que pode favorecer a multidisciplinaridade. A presença de pessoas com backgrounds distintos na companhia agrega diferentes experiências que vão fazer toda a diferença na hora de lidar com cenários corporativos cada vez mais complexos como, por exemplo, a transformação digital que ocorre em ritmo acelerado.

Mais dinamismo nos processos de trabalho 

Na área de supply chain, citando outro exemplo, os projetos envolvem a gestão de pelo menos cinco disciplinas diferentes: pessoas, processos, tecnologias,geolocalização e fiscal. Nesse segmento, ao mesmo tempo em que é preciso ter pessoas especialistas na empresa, também é necessária a presença de profissionais com esse perfil que consigam coordenar essas diversas áreas do conhecimento. 

Pessoas multidisciplinares normalmente apresentam uma série de soft skills, sendo que, para mim, as mais importantes incluem a capacidade de saber trabalhar em equipe, em ambiente multicultural, e de saber se comunicar de forma adequada. Cada vez mais, os profissionais precisam ser flexíveis, principalmente se levarmos em consideração o crescente universo de projetos com metodologia ágil, em que é melhor o feito do que o perfeito.

Na área de serviços, por exemplo, o retorno do investimento em uma equipe multidisciplinar para executar as operações, é muito rápido em função do feedback dos clientes, que pode ser mensurado de diversas maneiras para direcionar as estratégias da companhia. Na empresa em que atuo, a cada seis meses fazemos a pesquisa NPS (Net Promoter Score) para avaliar o grau de satisfação e fidelidade dos clientes. Com base nessa metodologia, percebemos o que é preciso para encantar e entregar cada vez mais valor aos clientes, com os recursos que temos, e resolver de maneira mais inteligente e assertiva os problemas. Esse é o verdadeiro propósito da multidisciplinaridade.

Planejamento, esforço inteligente e sucesso

Uma boa aplicação da multidisciplinaridade demanda maior dedicação ao planejamento e inteligência na hora de direcionar os melhores esforços para alcançar resultados. Um dos casos mais emblemáticos em que ela teve um papel fundamental no sucesso do negócio aconteceu com a Claro, um dos clientes da TPC Logística Inteligente. Nesse projeto, a multidisciplinaridade favoreceu a colaboração entre empresas diversas, cada uma com um saber específico que contribuiu para a resolução de um problema. 

A logística reversa da Claro retornava anualmente para a operação cerca de 7 milhões de equipamentos de TV a cabo e modem de internet, que eram então reparados e recuperados por sete empresas em locais distintos. Alguns dos problemas de transitar esse volume de equipamentos eram: a alta complexidade da gestão de parceiros, a maior emissão de CO 2 , a falta de visibilidade, custos altos e nível de serviços insatisfatório. Tivemos então a ideia de fazer uma parceria com a CTDI, uma empresa americana que é referência em conserto de produtos eletrônicos. Com isso, A TPC investiu em um armazém adequado para realizar todo o volume de trabalho de reparo em um mesmo lugar, o que transformou o modelo de negócio da Claro, através de uma operação mais eficiente.

Ao reunirmos os saberes de três companhias distintas, conseguimos reduzir o custo da operação e a pegada de carbono da Claro e ampliamos o escopo da nossa atuação, ao agregar mais um tipo de serviço à parceria com o nosso cliente. Esse exemplo mostra que negócios colaborativos são uma forma de ecossistema, que permite reunir saberes diferentes para oferecer um serviço mais completo e complexo. 

De maneira geral, a multidisciplinaridade dentro da empresa gera um negócio melhor. Ela pode ser usada tanto pelo executivo, para criar soluções que vão atender de forma eficiente demandas específicas, quanto pela companhia como um todo, para criar um ecossistema. Dessa forma, é possível convergir trajetórias profissionais distintas em direção a um objetivo comum, que vai impactar os resultados organizacionais.  

Multidisciplinaridade além do ambiente de trabalho

As empresas que conseguem encontrar profissionais capazes de navegar em ambientes de alta complexidade, com um grande volume de opções, têm um verdadeiro tesouro nas mãos, que precisa ser valorizado. Afinal, escolher as pessoas certas, com capacitações distintas e experiências em diferentes áreas, é um ponto de partida fundamental para agregar valor ao negócio. Mas podemos dizer que a multidisciplinaridade vai além do ambiente corporativo.

As interações na vida pessoal também são um exercício multidisciplinar, multicultural, pois envolvem pessoas que têm culturas e conhecimentos diversos. Por isso, é importante conversar com cada um de maneira correta e personalizada, levando em consideração seus aspectos individuais. Vale lembrar que a comunicação bem-feita não está ligada apenas ao ato de falar, mas sobretudo à capacidade de desenvolver uma escuta ativa. 

Quando você atua de maneira multidisciplinar, seja no ambiente pessoal ou profissional, é preciso ser humilde no sentido de não ser apaixonado somente pelas próprias ideias. Sempre vão existir pessoas que sabem mais do que você em assuntos que você não domina. No final das contas, o importante é estabelecer um ambiente sustentável e fértil, que agregue pontos de vista distintos para pensar ações e resoluções de problemas que vão produzir crescimento e resultados memoráveis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo