prevenção de perdas

Prevenção de perdas: os impactos para o varejo

A prevenção de perdas é uma aliada indispensável do varejo. Em 2018, conforme informação divulgada pela avaliação do Departamento de Economia e Pesquisa da ABRAS, as perdas representaram 1,89% do faturamento bruto do setor de supermercados. Com isso, é preciso ficar de olho nos fatores que tornam o varejo tão vulnerável.

São diversos fatores que interferem diretamente nas perdas, com destaque para a falta de padronização operacional e os erros cometidos em todas as etapas logísticas. Diante disso, você precisa identificar a origem desses problemas com o intuito de trazer soluções personalizadas que fazem diferença nos custos.

Ficou interessado? Então siga com a leitura para descobrir como implementar a prevenção de perdas no varejo.

O que é prevenção de perdas?

O primeiro passo para entender como a prevenção de perdas impacta o varejo é saber o que isso significa na prática. Trata-se de um conjunto de estratégias que foca em identificar, prevenir e minimizar ao máximo os prejuízos no varejo. Com uma avaliação bastante apurada sobre o assunto, o processo alcança também as perdas causadas por furtos, possíveis fraudes e desperdícios por erros em decisões internas.

Para isso, torna-se necessário desenvolver um planejamento detalhado e implementá-lo em todas as etapas, especialmente dentro da logística. A principal vantagem, nesse caso, é que o negócio consegue reconhecer quais são os seus maiores problemas relacionados aos desperdícios e pode se concentrar em maneiras eficientes de impulsionar os lucros por meio de soluções calculadas minuciosamente.

Quais são os impactos no varejo?

O mais impressionante quando se trata dos impactos das perdas no varejo é saber a porcentagem de suas causas e quais poderiam ser evitadas. Por exemplo, de acordo com a pesquisa ABRAPPE, de 2019, 67% das perdas são decorrentes de erros em processos internos. A preocupação, aqui, surge quando os prejuízos são colocados na ponta do lápis ao avaliar a margem de lucro da empresa.

É muito interessante pensar diante da perspectiva de prevenção de perdas, em que cada real economizado se converte na mesma proporção no aumento do lucro. No entanto, esses impactos não funcionam como uma fórmula exata, eles variam bastante de acordo com o segmento de atuação da empresa e outros fatores determinantes do mercado.

A falta de padrões operacionais é um dos problemas que mais se destacam quando o assunto são as perdas. Ao não estabelecer processos, os gestores e colaboradores ficam mais vulneráveis na hora de tomar decisões, e as chances de erros são grandes. Existem ainda a perda excessiva de tempo ou a repetição de tarefas desnecessárias, que, no fim das contas, representam uma série de prejuízos.

Quais as melhores práticas na prevenção de perdas no varejo?

Dentro da realidade logística, por exemplo, perder uma carga por escolher uma rota perigosa é uma situação que pode acontecer, mas que traz uma grande frustração e prejuízo. A partir disso, já dá para ter uma noção de como a prevenção de perdas é indispensável para a administração interna de maneira geral.

O mais importante é ter a consciência de que, ao direcionar as estratégias no caminho da transformação digital na logística, os investimentos em prevenção apresentam resultados em curto prazo. Logo, comece esse tipo de planejamento com a soma dos prejuízos mensais da empresa e os principais tipos de perdas.

Identificação das perdas

Um ponto que precisa ser destacado é que as perdas vão além das óbvias, que são furtos ou fraudes. Também é indispensável considerar outros fatores impactantes. Veja, a seguir, alguns exemplos.

  • falhas na administração;
  • decisões erradas de planejamento;
  • furtos que acontecem internamente;
  • ajustes em diferentes etapas;
  • perdas de produtividade;
  • problemas com gestão de fornecedores.

Com bases no levantamento das informações internas, o papel da empresa é direcionar as estratégias conforme a ordem de impacto dos problemas. Ou seja, os incêndios maiores devem ser o ponto alto do planejamento em um primeiro momento. Conforme essas lacunas são solucionadas, fica muito mais simples criar estratégias em questões menos complexas que não recebiam a devida atenção anteriormente.

Plano de ação

Agora que você já conhece os impactos das perdas no varejo, chegou o momento de falar sobre como fazer a prevenção de perdas em um plano de ação eficiente. Antes de mais nada, além dos gestores, todos os membros da equipe precisam se conscientizar sobre as mudanças culturais em relação às falhas operacionais.

E não pense que essa é uma tarefa extremamente simples. Para alcançar bons resultados, você precisa incluir no plano de ação medidas educacionais, treinamentos específicos para que cada um dos membros do time entenda seu papel na engrenagem que faz o negócio funcionar. Vale lembrar que esse processo exige uma dinâmica de reforço de tempos em tempos.

Depois de saber quanto se perde no dia a dia do negócio, as metas criadas para solucionar os gargalos exigem renovações constantes conforme a evolução do quadro acontece. O que ocorre, na verdade, é que o aprendizado dos gestores sobre o assunto é gradativo. Na prática, ao ver que uma solução deu retorno positivo, ela será mantida ou aprimorada, caso não tenha se encaixado nas expectativas.

Armazenamento e embalagem

No varejo, muitos problemas de perdas estão envolvidos com o armazenamento de mercadorias, as embalagens selecionadas e a logística de entrega. Logo, um dos principais pontos que deve ser levado em consideração no plano de ação é a embalagem escolhida para o tipo de produto.

Fique atento aos diâmetros, segurança que ela fornece, resistência aos impactos, durabilidade e bom material. Com isso, ao trazer algo que atenda as necessidades do produto, reduzem-se as chances de perdas por conta de uma embalagem pouco resistente.

Já no caso do armazenamento, o ideal é criar uma estratégia que permita organizar tudo com praticidade e segurança. Ao ter um armazenamento eficiente, os benefícios do planejamento se estendem também ao giro de estoque, ao cálculo das rotas de distribuição e à supervisão de inventários.

Quais benefícios a prevenção de perdas pode trazer?

A prevenção de perdas é um fator que muda a forma como a gestão do negócio acontece diante dos desafios no mercado. Seus resultados e benefícios aparecem em vários setores. Entre os principais estão:

  • ajustes na produção;
  • redução de falhas operacionais;
  • maior atenção aos problemas relacionados aos métodos de pagamentos;
  • eliminação das deficiências na gestão de compras.

Sem contar a identificação das falhas envolvidas na logística de transporte de maneira geral. Mesmo com tantos benefícios, a redução de custos sem interferir na qualidade do serviço oferecido é um dos pontos que mais chama a atenção.

A prevenção de perdas é fundamental para entregar um nível de serviço com custos competitivos. O segredo está em compreender que esse processo acontece em constante aprimoramento, e o papel do gestor envolve se manter informado, com o objetivo de atualizar os detalhes conforme as necessidades do negócio.

Gostou das informações do artigo? Então assine nossa newsletter e fique por dentro de outros conteúdos relevantes sobre o assunto.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Deixe um comentário