custos

Dicas para alcançar a redução de custos logísticos

A redução de custos logísticos, anteriormente vista como um elemento operacional, conquistou o status de componente estratégico nas organizações. Sendo assim, essa iniciativa adquiriu importância fundamental nos processos de tomadas de decisões. Portanto, é crucial que os gestores conheçam, a fundo, os impactos dos custos em logística, realizando um planejamento cuidadoso.

Embora tal redução represente um enorme desafio, a utilização de métodos adequados às especificidades do seu negócio e ancorados em um forte apoio tecnológico pode viabilizar o controle efetivo dos gastos e, consequentemente, a maximização de lucros.

Pensando nisso, apresentamos, ao longo deste artigo, excelentes dicas para ajudar você a reduzir os custos logísticos em sua empresa. Desejamos uma boa leitura!

Quais fatores encarecem a logística das empresas?

A identificação dos fatores que encarecem a logística de sua empresa deve ser iniciada pelo mapeamento dos processos logísticos. Essa medida deve ser realizada, preferencialmente, sob o formato de fluxos, a fim de facilitar a identificação dos responsáveis por eles.

Desde um ponto de vista conceitual, as atividades que compõe ― e, assim, quando não geridas adequadamente podem impactar negativamente os custos logísticos ― são:

  • transportes: custos referentes ao transporte para a venda de produtos e/ou transferências entre diferentes operadores logísticos e unidades de armazenamento;
  • armazenamento: investimentos destinados ao recebimento e à expedição de produtos e materiais;
  • estoques: custos financeiros (de oportunidade) sobre os estoques de MP (Materiais em Processo), PA (Produtos Acabados), entre outros;
  • movimentações: custos associados às movimentações internas das unidades (setor de TI, empilhadeiras, caminhões, pessoal etc.).

Como reduzir os custos logísticos?

A gestão dos recursos financeiros dever ser feita, como você sabe, com a maior precisão possível. Nesse sentido, a redução e a contenção de gastos são um objetivo comum à maioria dos negócios. Conheça, a seguir, as boas práticas para alcançar a redução de custos logísticos em sua empresa.

  • Automatize processos

A despeito de esse investimento implicar em alguns gastos, ele pode gerar retornos já em médio prazo para a sua organização. Trata-se, na prática, de uma das formas mais eficazes de elevar a eficiência, à medida que contribui para produzir mais com menores custos, além de tornar a sua logística mais econômica e ágil.

  • Otimize as rotas

A definição de rotas de escoamento é de tamanha importância que tende a requerer um ardoroso empenho dos operadores logísticos. Não obstante, é um excelente diferencial, uma vez que é altamente recomendável:

    • calcular quais são as melhores condições das malhas viárias a serem usadas;
    • organizar outras entregas no decorrer de um mesmo caminho;
    • gerenciar riscos;
    • determinar os modais que oferecem a melhor relação entre custo e benefício;
    • estimar as menores distâncias a percorrer.

Rotas bem planejadas são vitais para a eficiência das entregas e a redução de custos relacionados ao transporte de bens e mercadores. Na atualidade, é necessário levar em consideração os riscos inerentes a cada trecho em razão, sobretudo, à vulnerabilidade representada por eventuais roubos de cargas.

  • Controle o consumo de combustível

Ao fazer esse controle, sua empresa saberá, precisamente, o valor de cada item. A partir dessas informações, as transportadoras conseguem, por exemplo, detectar facilmente os combustíveis mais econômicos e os produtos com maior rendimento.

Com todos esses dados disponíveis, fica mais simples prever exatamente os custos por quilômetros rodados, a fim de evitar prejuízos. Tais dados certamente ajudam nos planejamentos financeiros periódicos, gerando maior segurança para a realização de investimentos que podem se direcionar, por exemplo, para a contratação de colaboradores, o desenvolvimento de novos serviços, a abertura de filiais etc.

  • Estipule metas e limites

Compreender as necessidades do negócio é fundamental para assegurar a eficiência da gestão de custos e permitir a definição tanto de limites quanto de metas a serem cumpridas, motivando a equipe a atuar nesse cenário.

Uma vez que todos os profissionais envolvidos sabem quais são esses parâmetros e quais recursos podem ser disponibilizados, a sua gestão adquire maior previsibilidade e controle.

O que é a torre de controle logístico e como ela contribui para a economia do setor?

A torre de controle logístico pode ser definida como uma central de inteligência e integração que visa elevar a eficácia das cadeias produtivas com foco em correção, em tempo real, de desvios, métricas, execução, processos e planejamento.

Trata-se, em suma, de uma metodologia alicerçada nos fundamentos de redução de custos, produtividade, qualidade e segurança. Entre suas principais ferramentas, destacam-se:

    • automação;
    • monitoramento;
    • adoção de métricas;
    • rastreabilidade;
    • excelência na execução;
    • padronização operacional;
    • cascateamento de metas (ou micro-metas);
    • programação.

Em outras palavras, o controle visa identificar, visualizar e agir para embasar a tomada de decisões a partir da definição dos intervalos de tolerância e níveis de criticidade.

Desse modo, ela reduz significativamente o tempo de ação, permitindo a maximização de potenciais e a pronta redução de custos.

Atuação da torre de controle logístico

A atuação da torre de controle logístico está alicerçada nos seguintes pilares:

  • execução: cada ação é acompanhada, de modo que sua execução é garantida por profissionais que sabem o que deve ser feito em cada momento do processo;
  • métricas: comparação e mensuração realizada por KPIs e relatórios gerenciais;
  • melhorias contínuas: o PDCA (sigla inglesa para planejar, executar, verificar e agir) é feito periodicamente, facilitando a padronização do ciclo logístico;
  • processos: definição de responsabilidades, tarefas, critérios e tempos;
  • planejamento: a torre recebe o planejamento, desdobrando as metas por toda a cadeia, efetuando o cascateamento até a base operacional.

É possível afirmar, então, que a torre de controle logístico visa assegurar a melhor execução possível, por meio do estabelecimento da disciplina operacional. Isso, no entanto, só é exequível mediante a padronização e o monitoramento de tarefas e processos.

Cumpre ressaltar por fim que toda cadeia de suprimentos deve, idealmente, ser adaptada às especificidades de suas respectivas mercadorias, pois, cada produto ou material demanda estratégias específicas.

Há, logo, diversas ações que podem ser efetivadas para alcançar a redução de custos logísticos. Todavia, ao trabalhar nesse sentido, é necessário analisar quais abordagens serão mais efetivas para as necessidades da sua empresa e as características gerais de seu segmento de atuação.

Gostou do artigo? Quais ações você já realizou para reduzir os custos logísticos em sua empresa? Deixe um comentário e compartilhe conosco a sua experiência!

COMPARTILHAR:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

Deixe uma resposta