gestão_de_fornecedores

Quando é necessário fazer a revisão na gestão de fornecedores?

Sem dúvidas, a terceirização na logística é uma das tendências mais vantajosas para as empresas de distribuição. Isso pode trazer benefícios incontáveis para as operações, desde a otimização de processos até a redução de custos.

Em contrapartida, terceirizar não significa “repassar” as responsabilidades ao parceiro, mas trabalhar em conjunto, monitorar as atividades por meio de uma gestão de fornecedores e, claro, buscar soluções e alternativas viáveis em parceria com a empresa contratada.

Será que a sua empresa desempenha bem esse papel e consegue acompanhar de perto todas as ações dos fornecedores de logística? Sendo assim, não deixe de conferir as dicas que separamos neste post e saiba quando é necessário revisar seus acordos e contratos. Vamos lá?!

Afinal, qual é a importância de revisar a gestão de fornecedores?

Ainda que suas operações estejam atendendo bem às necessidades da sua empresa, é normal que, com o tempo, alguns acordos e práticas se “afrouxem” com os fornecedores, seja por adaptações dos negócios, seja por falta de monitoramento mesmo. Porém, se isso começa a impactar nas atividades em si e coloca em risco, ainda que minimamente, qualquer ponto das operações, é fundamental acompanhar e tomar as devidas decisões, antes que o impacto seja maior.

Exemplos como o não cumprimento da tabela de fretes acordada, mudanças nos procedimentos de transporte, atrasos nas entregas, desrespeito às regras e práticas da empresa, entre outros, podem ser classificadas como falhas dentro de uma gestão de fornecedores. E cabe aos gestores saberem identificar isso e revisar tais pontos junto ao parceiro.

Como revisar a gestão de fornecedores?

Há algumas práticas-padrão que podem ajudar a manter a gestão de fornecedores em dia e dentro dos procedimentos acordados. Evidentemente, esse trabalho precisa ser contínuo dentro da empresa, e os colaboradores devem estar atentos e devidamente cientes de qualquer mudança, a fim de conseguirem monitorar a qualidade e o desempenho dos parceiros.

A seguir, destacamos alguns exemplos de práticas úteis para uma boa gestão de fornecedores. Confira!

Auditorias

As auditorias de fornecedores são uma prática fundamental dentro de qualquer empresa e ainda mais essenciais na logística de transporte, tendo em vista a dinâmica e a capacidade de mudanças rotineiras das operações de entregas e coletas.

Para isso, é importante que haja uma política interna definida e bem detalhada para a realização dessas auditorias junto ao fornecedor, destacando os principais pontos críticos e não críticos dos acordos e contratos que devem ser monitorados e checados durante as visitas.

Reuniões

Outra prática muito recomendada para uma gestão de fornecedores é cumprir uma agenda de reuniões periódicas, com o intuito de abordar resultados, debater pontos importantes e apontar melhorias nas operações. Como dica, organize sempre os assuntos e temas a serem abordados nessas reuniões e tenha em mãos dados e números reais para apresentar durante os encontros.

Treinamento de equipe

Para que uma gestão de fornecedores seja realmente eficiente, é fundamental investir em treinamento, tanto de seus colaboradores, quanto de terceiros. Para isso, busque criar uma programação de cursos, visitas técnicas e distribuição de materiais educativos entre todos os envolvidos nas operações.

É muito importante que todos esses colaboradores, internos e externos, conheçam a fundo as práticas e os acordos realizados entre as empresas, a fim de detectarem mais facilmente alguns gargalos e descumprimentos, tomarem decisões a tempo e buscarem melhorias contínuas para a parceria.

Quais pontos precisam ser levados em consideração?

Uma gestão de fornecedores visa, principalmente, monitorar e fazer a manutenção dos acordos entre empresas e seus parceiros. No entanto, quando essa prática identifica constantes descumprimentos, falhas e, até mesmo, dificuldades em atender às exigências dos contratos, ela pode indicar, também, a hora certa para possíveis mudanças.

Para exemplificar melhor, destacamos a seguir alguns pontos importantes que devem ser levados em consideração no trabalho de uma gestão de fornecedores e que são essenciais para a tomada de decisão do gestor. Confira!

Uso de tecnologias e inovação

Em tempos de logística 4.0, o uso da tecnologia aplicada à distribuição faz-se mais do que essencial para operações mais eficientes e inteligentes. Se o seus fornecedores não se atualizam, insistem em usar ferramentas obsoletas e não demonstram esforços para tais investimentos, suas atividades certamente poderão ser impactadas.

A gestão de fornecedores tem papel fundamental para essa análise e no acompanhamento das tendências do mercado. Portanto, cobre de seu parceiro o uso de novas tecnologias ou, se for preciso, busque por novas empresas com soluções mais modernas e que trarão mais resultados à sua.

Custo-benefício

Um dos pontos indispensáveis na análise de fornecedores é o custo-benefício que essa parceria rende. Ou seja, não se deve frisar apenas preços de mercado, mas, sim, os possíveis retornos que esse acordo pode trazer para o seu negócio. Como dica, compare tabelas de fretes no mercado, os tipos de soluções tecnológicas que as empresas estão oferecendo, os impactos que isso traria na prática de suas atividades, a qualidade da frota etc.

Pontualidade de entregas

Na logística, o cumprimento de prazos é fator crucial para manter o contrato com um fornecedor. Caso seja identificado constantes falhas nesse quesito, sem previsões para solução, é hora de repensar a parceria. Para que isso seja mensurado de forma justa e transparente, recomenda-se monitorar e cobrar resultados de todas as entregas realizadas. Sendo assim, crie KPIs específicos, tenha controle detalhado das operações (dias, horários, dados etc.) e tente detectar os pontos mais críticos.

Qualidade no atendimento

Sua empresa tem dificuldade em solucionar problemas nas entregas, perde tempo para rastrear pedidos e nem sempre recebe os devidos retornos do fornecedor? Então, esses são mais alguns pontos a serem levados em consideração na sua gestão de terceiros.

A qualidade no atendimento e a transparência das informações são fatores essenciais dentro de qualquer parceria. E quando há falhas aqui, é bom ficar atento para não gastar tempo, dinheiro, paciência e, claro, colocar em risco a sua operação.

Enfim, essas são as dicas de por que e como realizar um trabalho de gestão de fornecedores. Vale reforçar que essa prática tem por princípio uma manutenção constante de monitoramento e das atividades, visando sempre a manter os acordos e contratos em dia. Porém, ela pode ser essencial também para apontar mudanças necessárias e até a troca de terceiros mais competentes e eficientes para sua empresa.

Gostou das dicas? Quer saber mais sobre como acertar na escolha de seus fornecedores logísticos? Então, leia também nosso próximo artigo e descubra o que é o conceito de Fullcommerce e como a TPC pode transformar o seu negócio. Boa leitura!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Deixe uma resposta